A Visita de Estudo a Paris e ao Futuroscope (Poitiers), que se realizou de 3 a 7 de julho de 2019, contou com a participação de 48 alunos dos 8.º, 9.º e 11.º anos, tendo sido acompanhados por 4 docentes.


3 de julho
04h00 da manhã, aeroporto Dr. Francisco Sá Carneiro: todos a postos para o check-in. 
06h00: partida em direção ao aeroporto de Orly, Paris (1h50 de viagem).
08h50 (hora local): chegada a Orly, depois de uma viagem perfeita, entrámos no autocarro privativo que nos esperava (contagem até 48) e lá fomos em direção ao centro de Paris.
11h00: viagem no rio Sena em Bateau-Mouche – avistámos alguns dos monumentos emblemáticos de Paris: Musée du Louvre, Cathédrale de Notre-Dame, Tour Eiffel… 
No autocarro, depois da contagem até 48, fomos almoçar, uns o farnel que levaram, outros abasteceram-se nas imediações do Louvre e, à hora marcada, todos no ponto de encontro para nova contagem. 
14h00: visita ao Musée du Louvre (“Olha a Gioconda!” – ouviu-se alguém exclamar), com explicações da nossa guia Joana, sempre com a flor bem erguida para não nos perdermos. 
À saída, depois do 1,2,3,4…48, dirigimo-nos para o autocarro e fomos jantar à cantina da Université de Paris, onde fizemos a maior parte das nossas refeições.
22h00: subida à Tour Eiffel – Apesar de não ter sido possível subir ao 3.º andar, devido ao vento forte que se fazia sentir e à grande afluência de turistas, que vista incrível da cidade de Paris! 
4 de julho 
Todo o dia na Disneyland Paris – diversão garantida… e peripécias que, para quem de perto as vivenciou, recordará sempre com um sorriso, talvez melancólico de saudade …
E o espetáculo noturno?! Esse foi realmente maravilhoso!
Que dia fantástico!
Ponto de encontro, à hora marcada, para mais uma contagem até 48.
5 de julho
09h15: visita panorâmica de Paris (em autocarro), comentada em português por uma guia local com um doce sotaque brasileiro; passámos pelos sítios de maior interesse da cidade.
À tarde, passeamos pelos Champs Élysées até ao Arc de Triomphe (compras…só para alguns). Subimos a Montmartre, visitámos a Basílica do Sacré Cœur (onde decorria uma missa), a Place du Tertre (lá estavam os pintores, uns a pintar e outros apenas a expor os seus quadros), comemos crepes e muitos sorvetes e gelados. Que calor! 
(Contagem: 1,2,3,4…48. Constantes contagens!) 
Depois do jantar, abalámos com “armas e bagagens” para Poitiers. Viagem de autocarro. Objetivo: Futuroscope.
6 de julho
Todo o dia no Parque Europeu da Imagem/Futuroscope: houve quem tivesse gostado mais deste parque que do da Disneyland Paris. Mas gostos são gostos e não se discutem!… 
Na realidade, foi mais um dia em grande, cheio de sensações, aventuras e, mais uma vez, peripécias interessantes (“Comprar um saco de arroz? Mas para quê?!” – Terá, ao menos, surtido o efeito desejado?). E calor, muito calor!
Depois do jantar, voltámos ao parque para assistir ao espetáculo noturno. Houve quem tivesse até trocado de roupa, graças à disponibilidade e paciência dos dois extraordinários motoristas que se mostraram sempre recetivos aos pedidos dos alunos, para estar à altura de tão grandioso evento. No entanto, a trovoada e a chuva impediram a realização deste espetáculo que acabou por ser cancelado à última hora, com o anfiteatro já cheio de espetadores desejosos de assistir e fotografar mais um acontecimento deslumbrante. Paciência, pelo menos, acalmou um pouco a temperatura que se sentia…
A viagem de regresso decorreu conforme o previsto. Apesar de alguns passageiros ainda terem energia para conversar durante quase toda a viagem, a verdade é que a grande maioria adormeceu, como seria de esperar depois de várias noites mal dormidas e de levantar cedo todos os dias, para cumprir os horários e o programa estabelecido. 
Foi, seguramente, uma visita de estudo marcada pelo convívio, pela partilha e pela fomentação da autonomia. Acreditamos que foi uma experiência para a vida, em que houve crescimento e amadurecimento psicológico e emocional. 
Regressámos todos com a alma cheia de alegria, porque voltámos para a família, é verdade, mas porque trazemos recordações (não apenas os souvenirs comprados) de momentos inesquecíveis de aprendizagem, mas essencialmente porque tudo correu muito bem.